top of page
Banner Blog da IMC

Blog da IMC

Ícone entrega pelos Correios para todo Brasil

ENTREGA PELOS CORREIOS

para todo Brasil

Ícone retire na loja sua compra do site

RETIRE NA LOJA

sua compra do site

Ícone dividimos em até 12 vezes pagamento nos cartões

DIVIDIMOS EM ATÉ 12 VEZES

pagamento nos cartões

Ícone loja 100% segura - selo SSL utilizado

LOJA 100% SEGURA

selo SSL utilizado

  • Foto do escritorIMC Resistências Elétricas

Resistência tubular: entenda como ela funciona!


Resistência tubular: entenda como ela funciona!

A resistência tubular, como seu próprio nome esclarece, é um tipo de resistência em formato de tubo, com comprimento, curvatura e potência variáveis, amplamente utilizada na indústria e em equipamentos elétricos. São empregadas em estufas, aquecedores, desumidificadores, fritadeiras, banho maria entre várias outras aplicações.


Podem ser confeccionadas em cobre ou aço inoxidável e fabricadas com diferentes formatos e características, cada um deles indicado para uma atividade específica. O mercado oferece soluções suficientes para suprir a maior parte da demanda das indústrias, mas projetos exclusivos podem ser encomendados por empresas especializadas.


Neste post falaremos sobre o funcionamento, os tipos e as principais aplicações das resistências tubulares, em especial as voltadas para banho maria. Continue a leitura e entenda melhor sobre esse equipamento e a sua importância!


Como a resistência tubular é utilizada pela indústria química?


A indústria química refere-se às empresas que trabalham a produção de produtos químicos, entre os quais estão os petroquímicos, polímeros, produtos farmacêuticos, tintas, agroquímicos, entre outros. Elas utilizam processos que incluem reações químicas para formar novas substâncias, fazem separações de propriedades, destilações e transformações por aquecimento.


A resistência tubular é usada na indústria química para aquecer líquidos de arrefecimento, óleos, água, substâncias químicas em geral, produtos incrustantes, combustíveis, gases, solventes e uma variedade de produtos utilizados no setor industrial. Elas são componentes dos tanques de aquecimento e outros dispositivos elétricos que possibilitam a passagem desses elementos.


Essas indústrias processam e modificam insumos ou matérias-primas obtidas pela agricultura ou pelos procedimentos de mineração ou outras fontes de abastecimentos. Por meio das suas atividades elas formam substâncias ou materiais úteis e indispensáveis para outros empreendimentos. Em virtude disso, as resistências tubulares são fundamentais para o seu sucesso.


Como a resistência tubular é utilizada pela indústria metalúrgica?


A indústria metalúrgica utiliza resistência tubular para os seus processos de fundição, produção de ferroligas, materiais não ferrosos e ferro-gusa, fabricação de tubos e muito mais. Os metais são transformados em líquidos e depois colocados em moldes de acordo com a forma almejada.


Na indústria metalúrgica, a resistência tubular é utilizada em processos de oxidação, niquelação, cromação, galvanoplastia, banhos de zincagem, desengraxantes, entre outros. Os modelos são fabricados de acordo com as necessidades de aquecimento desse segmento específico. Os componentes transferem calor e são a solução ideal para vários empreendimentos.


Desse modo, a resistência tubular é essencial para a construção naval, setor automobilístico e aeroespacial. Ela melhora o desempenho dessas indústrias que transformam metais em dispositivos, máquinas, equipamentos e implementos úteis para a sociedade.


Por que é importante saber quantos amperes as resistências puxam?


Saber qual é a amperagem consumida pelas resistências é muito importante para realizar a instalação elétrica adequada nos ambientes. Com base nos amperes puxados pelos dispositivos são dimensionados os condutores para que suportem a carga de energia. É indispensável utilizar bitolas e fios elétricos que suportem e atendam a amperagem utilizada.


Para entender a amperagem que é consumida pelas resistências elétricas, basta dividir a sua potência em Watts pela tensão em Volts. Portanto, uma resistência com 5.500 Watts ligada em 220 Volts exige 25 amperes para o perfeito funcionamento. Se ela for ligada em 127 Volts requer 43,30 amperes.


Por tais razões, é necessário observar se o aparelho suporta a amperagem da resistência elétrica. Além do mais, se você utilizar fios finos para determinada resistência pode causar um incêndio porque eles vão aquecer demais e derreter. Tenha cuidado ao fazer instalações de acordo com as instruções de fábrica.


Qual material deve ser utilizado nas resistências tubulares?


Geralmente, as resistências tubulares são fabricadas com nipples de liga de latão próximo às extremidades. Elas são confiáveis e resistentes sem o uso de chumbo para utilizar em produtos químicos como a soda cáustica, por exemplo. Os nipples podem ser de inox também.


Já os tubos são confeccionados com materiais de ferro, cobre ou aço inoxidável e ainda recebem uma blindagem para a resistência tubular ter garantia de durabilidade e segurança. A maioria é disponibilizada e dimensionada conforme os pedidos dos clientes, fabricadas em quantidades, comprimentos e potências variadas.


Como funciona a resistência tubular?


Em linhas gerais, a função de uma resistência tubular, tal como a de qualquer outra resistência, é gerar calor e promover o aquecimento de um sistema. A sua principal vantagem, entretanto, é a flexibilidade em termos de fabricação e utilização.


As resistências tubulares podem ser usadas para aquecer líquidos por meio do contato direto da sua superfície com uma solução, ou para secar ou aquecer alimentos e objetos com o auxílio de turbinas que conduzem o calor pelo ar.


O primeiro caso pode ser facilmente observado em restaurantes self-service que mantém seus alimentos aquecidos em banho maria. Geralmente uma resistência imersa na água mantém o líquido aquecido que transfere o calor para as bandejas e panelas.


Nas fritadeiras elétricas, por outro lado, uma resistência gera um vapor de alta temperatura dentro de um compartimento que, em seguida, é “soprado” por uma ventoinha girando em altíssima velocidade. O ar quente, então, circula o recipiente onde os alimentos se encontram, gerando o aquecimento.


Em indústrias, porém, esses processos são realizados em escalas muito maiores e as aplicações das resistências tubulares são muito mais amplas. Ainda que o aquecimento de líquidos seja a sua finalidade mais comum, esse tipo de resistência desempenha papel importante em outras áreas como na produção de produtos plásticos e peças galvanizadas.


Como escolher a resistência tubular ideal?


Considerando que as resistências tubulares são fabricadas para desempenhar funções muito específicas, a escolha do modelo deve estar alinhada com a necessidade do seu serviço ou as normas técnicas exigidas no processo de fabricação de resistências.


Além do formato e tamanho que podem variar de acordo com as funcionalidades de cada tipo, a resistência também pode acompanhar fixadores, dispositivos eletrônicos e outros acessórios utilizados para ampliar as capacidades da peça ou para cumprir padrões industriais estabelecidos.


As resistências pré-fabricadas e comercializadas no mercado trazem informações técnicas sobre os seus potenciais e limitações, além de instruções de uso e manutenção. O fabricante também deve esclarecer os processos em que ela é útil e em quais ela não é indicada.


Quanto aos modelos sob encomenda, é fundamental fornecer à empresa encarregada todos os detalhes do processo em que a resistência será empregada. Os dados que geralmente são levantados para definir o melhor modelo de resistência em uma atividade industrial são:

  • temperatura máxima de trabalho contínuo;

  • temperatura máxima em picos (limite);

  • tensões de trabalho;

  • isolação elétrica;

  • densidade máxima de potência;

  • comprimento máximo;

  • normas de fabricação do produto.


Quais os principais tipos de resistência tubular e suas funções?


Existem vários tipos de resistência elétrica tubular. Saiba um pouco mais sobre os principais modelos e as suas funções.


Resistência tubular sobre borda


Esse tipo de resistência tubular é feita em aço inox revestido com teflon ou chumbo e pode ser fabricada com diferentes comprimentos e níveis de potência. As suas aplicações são amplas: processos de niquelação, cromação, oxidação, desengraxantes, banhos de zincagem, galvanoplastia, entre outros.


A resistência tubular sobre borda recebe esse nome porque é instalada na borda de reservatórios ou tanques nos quais os líquidos são aquecidos.


Resistência tubular flexível


Comumente utilizadas em câmaras de injeção de plástico, as resistências tubulares flexíveis são projetadas para serem devidamente aplicadas em sulcos nos moldes de produção. Embora maleáveis, sua superfície é aquecida de maneira uniforme e prolongada.


Devido a essa versatilidade, além da produção de moldes de plástico, essas resistências podem ser usadas em várias aplicações: máquinas de rotulagem, hot stamping, moldes de injeção, máquinas de corte e solda, aquecimento do manifold em câmaras quentes, equipamentos médicos, entre outros.


Resistência tubular aletada


A resistência tubular aletada é usada em processos de aquecimentos realizados em túneis ou dutos de ar. Nesse tipo de sistema, a resistência é responsável por aquecer o ar sob pressão que é soprado em direção ao ambiente em que a secagem ou aquecimento acontece.


Sendo assim, esse tipo de resistência é útil para estufas, câmaras de degelo, secadoras, climatizadores de frutas, desumidificadores e outros empreendimentos que dependem de processos de ventilação forçada.


Resistência tubular de imersão


Destinada a processos de aquecimento que utilizam líquidos, as resistências tubulares de imersão podem ser imersas em soluções químicas com densidades variáveis (água, combustíveis, óleos, líquidos de arrefecimento, solventes e outros) e são fabricadas com latão, aço inox ou tubos de cobre.


As resistências tubulares elétricas de imersão podem ser fabricadas com formatos específicos e fixadores acoplados. Também podem vir acompanhadas de opcionais que variam de acordo com as necessidades da instalação.


Qual a resistência tubular ideal para banho maria?


As resistências para banho maria podem ser um tipo de resistência tubular de imersão ou não, ou seja, podem trabalhar imersas em água ou a seco, de acordo com as suas especificações. São predominantemente utilizadas em cozinhas industriais, restaurantes e refeitórios em geral.


Fabricadas em diferentes formatos, esse tipo de resistência é voltada para o aquecimento de água em recipientes fechados. O modelo em U é muito usado em marmiteiros, já os modelos W e M, por serem mais largos, conseguem propagar melhor o calor e, por isso, são mais usados em restaurantes e carrinhos térmicos.


De maneira geral, a principal vantagem das resistências para banho maria é a sua eficiência em aquecer os alimentos sem ressecá-los, preservando o calor e a qualidade da refeição por mais tempo.


Entendeu como funciona esse dispositivo? Como você deve ter percebido, a resistência tubular é a resistência elétrica mais utilizada na indústria. Desempenha papel importante na produção dos mais variados tipos de peças e produtos elétricos, assim como no funcionamento de dispositivos que nos deparamos com frequência no nosso dia a dia.


Quer saber mais? Que tal conferir alguns modelos em detalhes? Acesse a nossa loja e conheça as resistências IMC tubulares para banho maria!

702 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page