top of page
Banner Blog da IMC

Blog da IMC

Ícone entrega pelos Correios para todo Brasil

ENTREGA PELOS CORREIOS

para todo Brasil

Ícone retire na loja sua compra do site

RETIRE NA LOJA

sua compra do site

Ícone dividimos em até 12 vezes pagamento nos cartões

DIVIDIMOS EM ATÉ 12 VEZES

pagamento nos cartões

Ícone loja 100% segura - selo SSL utilizado

LOJA 100% SEGURA

selo SSL utilizado

  • Foto do escritorIMC Resistências Elétricas

Resistência para tanque de refrigerante: entenda sua função!


Resistência para tanque de refrigerante: entenda sua função!

O tanque de refrigerante, usado na fabricação dessa bebida tão consumida em todo o planeta, é construído em aço inox. Ele desempenha uma série de funções nesse processo, desde a produção do xarope básico à adição do líquido refrigerante.


A indústria mundial da bebida remonta ao início do século XX. No Brasil, as primeiras produções se beneficiaram de uma fruta típica do país, o guaraná, sabor que se manteve ao longo dos anos como um dos preferidos do consumidor brasileiro.


Atualmente, embora o mercado tenha dado espaço para novos tipos de bebida, os refrigerantes continuam sendo muito consumidos, mantendo fábricas ativas em todo o país.


Neste artigo, apresentamos as etapas de fabricação da bebida, os componentes essenciais desse processo e a importância da manutenção adequada dos equipamentos. Confira!


Como a indústria define os refrigerantes?


Antes de falarmos sobre os tanques de refrigerantes e os demais componentes da fabricação da bebida, precisamos entender o que, de fato, é um refrigerante. Isso vai ajudar a esclarecer a importância de cada etapa do processo.


O mercado brasileiro abriga uma série de produtos considerados refrigerantes, mas ele é definido pela ABIR (Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcoólicas) a partir de três características. São elas:

  • presença de gás carbônico: dióxido de carbono (CO2) deve ser adicionado à bebida em sua composição básica;

  • presença de açúcares: a textura e o sabor conferido à bebida precisam ser gerados por meio de açúcares (naturais ou artificiais);

  • ausência de álcool: sejam elas fermentadas ou destiladas, devem ser classificadas por esse atributo.


Essas três características diferenciam o refrigerante das bebidas alcoólicas e também dos energéticos, que são isotônicos, ainda que suas composições sejam muito semelhantes.


Como é realizada a fabricação de refrigerantes?


A fabricação de refrigerantes depende de uma série de linhas de produção, desde o preparo e higienização dos recipientes à etiquetagem e inspeção. Neste artigo, porém, vamos nos focar na produção da bebida. Embora ela seja disponibilizada em diversos sabores, apresenta sempre os mesmos princípios de fabricação. Confira-os, a seguir.


Ingredientes essenciais do refrigerante


A produção da bebida começa com os seus ingredientes básicos, que são distribuidos em três tanques de aço inox. O primeiro contém uma solução de água com açúcar (ou adoçante, no caso dos refrigerantes zero).


No segundo tanque, encontra-se o xarope, um líquido denso produzido com suco de frutas ou fórmulas artificiais, além de conservantes e sais minerais. É o xarope, portanto, que define o sabor da bebida.


O último tanque armazena dióxido de carbono a uma temperatura de 5ºC, que é adicionado ao líquido em duas fases. Falaremos sobre elas nos próximos tópicos.


Preparo do xarope


A produção do xarope começa com o dissolvimento do açúcar em água quente. Esse processo também tem o propósito de esterilizar o líquido, ou seja, livrá-lo de microrganismos e substâncias prejudiciais à saúde.


O aquecimento do tanque usado para esse propósito é feito por meio de serpentinas com água quente circulante ou resistências elétricas de imersão.


Ao longo do processo, também são adicionados acidulantes e aromas, que também contribuem para o sabor da bebida. Terminado o xarope, resta apenas a água gaseificada para que o refrigerante fique pronto.


O preparo da água gaseificada


O dióxido de carbono é dissolvido em água e, por meio de um processo químico chamado de carbonatação, se transforma em ácido carbônico (H2CO3). Esse é o produto adicionado ao xarope na fabricação.


É interessante observar que, por ser um ácido, essa substância apresenta um sabor azedo, que altera o sabor do xarope. Esse é dos “segredos” por trás do sabor característico da bebida.


Injeção final de gás


Muitas pessoas comentam sobre a diferença de sabor entre o refrigerante industrializado e o vendido em máquinas de fast food. A resposta se deve a dois fatores.


O primeiro é a água utilizada. Nas máquinas, o xarope é misturado com água gaseificada natural na hora. Já nas fábricas, a criação do ácido carbônico a partir da água comum é mais viável, pois a disponibilidade de água gaseificada não é suficiente para atender à grande demanda da produção.


O segundo fator é a dosagem extra de gás carbônico que é adicionada nas garrafas e latas para aumentar a pressão interna e conservar o líquido. É esse gás adicional o responsável pelo famoso barulhinho escapando ao abrir o produto, e que nas máquinas que servem a bebida em copos não existe.


Inspeção e despacho


Por meio de uma tubulação, o refrigerante pronto segue para uma máquina que usa válvulas especiais para despejar o líquido nas garrafas ou latas com a pressão e a quantidade exatas. As tampinhas ou lacres são inseridos logo em seguida e o produto segue para a última inspeção para, enfim, ser liberado para o mercado.


Qual a importância da manutenção correta dos equipamentos?


Garantir o funcionamento adequado dos equipamentos é vital para a saúde de qualquer indústria. O uso contínuo de máquinas, ferramentas, tanques e componentes elétricos exige acompanhamento e manutenções periódicas para que a produtividade da empresa seja mantida, bem como a qualidade da produção e a segurança dos colaboradores.


Esses cuidados são ainda mais relevantes na fabricação de alimentos e bebidas, tendo em vista que os produtos serão ingeridos pelos consumidores. Qualquer falha na produção pode expor essas pessoas a riscos de saúde.


Dessa forma, é preciso contar com profissionais capacitados para providenciar inspeções, ajustes e melhorias de maneira ágil. Também, contar com fornecedores confiáveis na compra de insumos e itens de reposição.


Tratando-se de resistências elétricas, a IMC se destaca no mercado como uma das empresas mais tradicionais desse mercado. São mais de 50 anos de atuação e sua qualidade é atestada pelas mais altas certificações do setor. Além disso, apresenta um vasto leque de produtos (em estoque ou sob encomenda), agilidade na entrega e preços acessíveis.


Se você necessita de resistências elétricas para tanque de refrigerante ou para outros equipamentos, saiba que a IMC tem o produto certo para sua empresa. Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas com a nossa equipe especializada!

36 visualizações2 comentários
bottom of page