top of page
Banner Blog da IMC

Blog da IMC

Ícone entrega pelos Correios para todo Brasil

ENTREGA PELOS CORREIOS

para todo Brasil

Ícone retire na loja sua compra do site

RETIRE NA LOJA

sua compra do site

Ícone dividimos em até 12 vezes pagamento nos cartões

DIVIDIMOS EM ATÉ 12 VEZES

pagamento nos cartões

Ícone loja 100% segura - selo SSL utilizado

LOJA 100% SEGURA

selo SSL utilizado

  • Foto do escritorIMC Resistências Elétricas

Fogareiro elétrico: entenda o que é e quando usá-lo na sua empresa


Fogareiro elétrico: entenda o que é e quando usá-lo na sua empresa

Semelhantes aos fogões de mesa, os fogareiros elétricos são uma solução prática para o preparo de alimentos em acampamentos e empresas. Destacam-se não apenas pelo seu tamanho compacto, mas também pela eficiência do seu aquecimento. Para espaços pequenos ou quando a mobilidade é exigida, eles são a melhor opção!


O poder calorífico gerado por esses equipamentos é suficiente para ferver água, aquecer marmitas, cozinhar alimentos que demandam longo preparo, fritar carnes etc. Enfim, tudo o que um fogão convencional oferece. Não existe nenhuma perda no processo de aquecimento pela substituição do material comburente. No lugar do gás, temos a eletricidade.


O gás ainda é o combustível mais utilizado para o aquecimento de refeições, mas os aparelhos elétricos estão ganhando popularidade no mercado e, embora deixem alguns consumidores receosos em relação ao consumo, em muitos casos, eles podem gerar um custo mensal equivalente aos fogareiros e fogões tradicionais.


Continue a leitura e saiba tudo sobre os fogareiros elétricos e seus benefícios!


Como funciona um fogareiro elétrico?


Tal como um cooktop que funciona por indução, um forno ou um chuveiro elétrico, o fogareiro também funciona por meio de uma resistência elétrica que aquece quando sujeita à passagem de corrente, transmitindo esse calor para um utensílio (panela ou frigideira), que, por sua vez, aquece o alimento.


O fogão comum e o fogareiro a gás produzem uma chama a partir da combustão de gases inflamáveis, incolores e inodoros, em especial o propano e o butano. A chama que aquece os alimentos consome lentamente o líquido armazenado sob pressão nos botijões que precisam ser substituídos periodicamente.


As resistências elétricas, por sua vez, são peças resistentes que podem ser submetidas a altas temperaturas e condições de trabalho sem que o seu desempenho ou estrutura sejam danificados. Em poucas palavras, o papel desses materiais é transformar a energia elétrica em energia térmica para ser empregada no aquecimento de líquidos, alimentos, máquinas e até ambientes.


O efeito de geração de calor tem resultado da dificuldade imposta à passagem de corrente elétrica pelo condutor. Na verdade, trata-se de uma ocorrência indesejada. Nós, na inventividade de nossa espécie, transformamos esse “defeito” em algo aproveitável. O calor que é dissipado nesse evento serve como fonte de aquecimento para inúmeras outras coisas.


Esse evento tem um nome: chama-se efeito Joule. O calor que normalmente seria desperdiçado é aproveitado na utilização das resistências elétricas. O fogareiro elétrico é, portanto, mais uma aplicação desse efeito, tendo sua utilização voltada exclusivamente para o preparo de alimentos.


Por que utilizar esse equipamento em minha empresa?


A vantagem mais evidente dos fogareiros elétricos é o tamanho. São equipamentos pequenos, leves e portáteis, que podem ser utilizados em praticamente qualquer lugar e não demandam muito espaço nem preocupações com compra de combustíveis ou troca de botijões. As dúvidas mais frequentes, entretanto, estão relacionadas ao consumo.


Os aparelhos que trabalham com resistências elétricas são comumente taxados como vilões nas contas de luz, o que não é verdade. O consumo dos aparelhos é muito relativo. Há aqueles que consomem pouco, mas são utilizados várias horas todos os dias, assim como há outros que demandam mais energia, porém seu uso é mais restrito.


É tudo uma questão de planejamento quanto ao uso desses equipamentos. Nesse sentido, devem ser levados em conta os custos com combustíveis comuns (como o GLP) e o valor do kWh (kilo Watt/hora) da concessionária do estado em questão. Assim, é possível fazer uma estimativa de gastos que realmente mostre a vantagem econômica no uso dos fogareiros elétricos.


Em relação aos fogareiros, como demonstraremos a seguir, o custo mensal é equivalente ao consumo de gás e, certamente, é inferior ao consumo de vários outros equipamentos que utilizamos em casa.


Outro ponto importante que deve ser levado em consideração quando se usa um fogareiro elétrico em uma empresa é que a taxação de seu consumo de energia elétrica não é igual ao consumo de residências. Dependendo do porte da organização, ela pode ser encaixada em um grupo de consumo de energia dos grandes consumidores.


Isso significa que o valor de seu kWh é menor que o preço cobrado de uma casa. Essa diferença na tarifação se deve ao fato de existirem diferentes faixas de cobrança. É o que se conhece como horário ponta e horário fora de ponta.


Nos horários de ponta, o valor do kWh tende a ser mais alto. Isso porque são faixas de horário em que o consumo aumenta muito. Como forma de incentivar o racionamento de energia nesses horários, o valor é aumentado. A boa notícia é que, na maioria das concessionárias, esse horário fica compreendido entre 18:00 e 22:00.


Sendo assim, o fogareiro elétrico se mostra uma ótima opção para a utilização dentro do horário fora de ponta, pois ele corresponde basicamente ao horário comercial. Além disso, nessa faixa de cobrança, o valor do kWh tende a ser metade do que se cobra de uma residência, já que os grandes consumidores consomem muito mais energia que uma casa.


Consumo do fogão e fogareiro a gás


O fogão a gás é o equipamento mais conhecido e utilizado para o preparo de refeições, seja em residências, seja em empresas. Nesse caso, a maior desvantagem do eletrodoméstico é o espaço. Nem todos os escritórios ou indústrias contam com uma área livre para acomodar um fogão e um botijão de gás, assim como suas instalações podem dificultar o acesso para trocas.


Os fogareiros a gás, por sua vez, são mais conhecidos entre os fãs de camping. São iconizados pelo sagrado momento de descanso quando os aventureiros podem relaxar e apreciar o local enquanto a comida é preparada, mas também atendem empresas que não contam com muito espaço para cozinhas completas.

Em termos de consumo, um fogão comum de 4 bocas consome, em média, 0,225 kg/h em fogo médio. O preço de um botijão de 13 kg pode variar bastante dependendo da região, porém, considerando um valor médio de R$90,00, o custo mensal que você teria utilizando esse fogão uma hora por dia seria de R$46,70 — aproximadamente R$11,67 por boca.


Conforme mostra esse simples cálculo, os custos para manter um fogão a gás podem estar bem além do que o imaginário comum prega. Dificilmente alguém tem noção do custo de uma chama a gás. No entanto, se tudo for colocado na “ponta do lápis”, é bastante provável que o fogareiro elétrico seja a opção mais vantajosa.


Consumo do fogareiro elétrico


Um fogareiro elétrico com 700W de potência funcionando uma hora por dia gera um consumo aproximado de 21 kWh por mês. Considerando o custo médio do valor do kWh, que gira em torno de R$0,60 (sem impostos), o consumo mensal de um fogareiro ficaria em R$12,60.


Quando comparamos esses valores com os resultados obtidos em outros equipamentos submetidos aos mesmos parâmetros (custo mensal para 1 hora de uso por dia), percebemos que a demanda de energia dos pequenos fogareiros é modesta. Observe.

  • chuveiro elétrico (5500W): R$99,00;

  • forno micro-ondas (2000W): R$36,00;

  • ebulidor (1000W): R$18,00;

  • torradeira elétrica (800W): R$14,40;

  • fogareiro elétrico (700W): R$12,60.

Vale ressaltar que as informações acima são apenas uma referência. Os dados podem variar de acordo com as tarifas da sua região, o período, a classificação do seu imóvel, a utilização e a potência do produto. É válido ainda considerar a conta para um consumidor de grande porte, pois a tarifa será menor ainda. A consequência será um custo ainda mais baixo para o uso de eletricidade.


Considerando o consumo por boca, portanto, os custos mensais de um fogão a gás ou fogareiro elétrico no nosso exemplo são quase equivalentes:

  • fogão a gás (1 boca): R$11,67;

  • fogareiro elétrico (1 boca): R$12,60.


Como escolher um fogareiro elétrico?


Antes de investir seu dinheiro em um produto, é fundamental estudar, avaliar e comparar para se certificar de que está fazendo uma boa escolha. Com um fogareiro elétrico, isso não é diferente. Embora cumpram seu propósito de maneira semelhante, existem diferenças técnicas e funcionais entre os modelos disponíveis no mercado.


Alguns tipos de fogareiro apresentam resistências comuns (molas espirais), já outros modelos oferecem resistência blindada. Embora a primeira opção seja encontrada com um preço melhor, ela é muito mais frágil a eventuais impactos e pingos de água quente. Algumas resistências desse tipo, inclusive, possuem uma canopla de proteção justamente para esse fim.


A “blindagem”, por sua vez, confere maior proteção e durabilidade à resistência e, por isso, é mais indicada. Ainda, por se tratar de um equipamento que será manuseado por várias pessoas na empresa, o fogareiro estará mais sujeito a desgastes e danos. Portanto, um aparelho robusto certamente estará mais preparado para esse tipo de utilização.


Outro fator técnico que é preciso levar em conta é a diferença de voltagem. Ao utilizar um fogareiro elétrico de 220V em uma tomada de 110V, não há perigo de acidentes ou avarias. Entretanto, o calor gerado será equivalente a apenas 25% da sua potência normal. O correto é escolher um equipamento adequado à faixa de tensão da sua região.


Em contrapartida, ao ligar um aparelho de 110V em uma tomada de 220V, a resistência é queimada instantaneamente (ocorre um curto-circuito). Certifique-se, portanto, de comprar produtos de qualidade e compatíveis com as especificações da rede elétrica da sua empresa. Dessa forma, qualquer possível acidente é evitado e a segurança de todos é mantida.


A IMC é uma empresa especializada na fabricação de resistências para aquecimento industrial, com mais de 50 anos de experiência no Brasil. Sempre em aperfeiçoamento, trabalhamos constantemente para melhorar a qualidade dos nossos produtos e do nosso atendimento, com o orgulho de ser uma companhia certificada pela ISO 9001.


Gostou do conteúdo sobre fogareiro elétrico? Então aprenda um pouco mais lendo nosso artigo sobre o ebulidor e como ele funciona!

1.122 visualizações2 comentários
bottom of page