top of page
Banner Blog da IMC

Blog da IMC

  • Foto do escritorIMC Resistências Elétricas

7 dicas de como evitar um curto-circuito

Atualizado: 16 de mar. de 2023


7 dicas de como evitar um curto-circuito

Instalações elétricas precárias ou má condutas relacionadas à eletricidade podem ser bastante nocivas. Nesse sentido, é importante conhecer dicas de como evitar um curto-circuito, para que danos maiores não sejam ocasionados. Contar com parceiros especializados também é uma ótima forma de adquirir conhecimento.


É exatamente por isso que escrevemos este artigo. Por meio dele, você saberá do que se trata esse evento e, o melhor de tudo, aprenderá técnicas de como evitá-lo. Ao percorrer a leitura, você estará qualificado para usar a energia elétrica de sua casa e seu trabalho da melhor forma possível.


O que está esperando? Continue a leitura agora mesmo!

O que é um curto-circuito?

Imagine uma corrida de Fórmula 1. Durante seu acontecimento, os carros devem percorrer o circuito previamente determinado, que é representado pela pista. E o que ocorre se algum piloto tentar pegar um atalho para fazer um circuito mais curto e, assim, ganhar tempo? Provavelmente, acontecerá um acidente.


Da mesma forma acontece com a corrente elétrica. Ela deve percorrer seu circuito normal, porém, eventualmente, ela pode “pegar um atalho” para fazer um circuito mais curto. Quando isso acontece, temos um curto-circuito, cujas consequências podem ser perigosas.


Um curto-circuito existe, principalmente, pela sobrecarga aplicada a alguns condutores. Isso significa exigir de um fio mais corrente do que ele pode suportar, fazendo com que ele ceda à pressão e entre em curto.


Instalações precárias também são grandes fontes desses acontecimentos, pois fios desencapados podem fornecer o cenário ideal para que a corrente encontre um caminho “mais curto”.


Como o curto-circuito pode aparecer e como identificá-lo?


Quando surge um problema na rede elétrica de nossa casa, é muito comum darmos um jeito, puxando uma extensão ou fazendo adaptações.


Essas soluções até ajudam momentaneamente, mas, com o passar do tempo, podem surgir problemas mais sérios, levando ao curto-circuito. Uma grande sobrecarga na rede elétrica pode levar a consequências graves, como incêndios.

Alguns sinais de curto-circuito são perceptíveis e devem ser observados.


Separamos os principais, a seguir:

  • cheiro de queimado, quando você não consegue identificar de onde está vindo;

  • manchas pretas na tomada, que aparentam queimadura;

  • lâmpadas que queimam mais rápido que a vida útil normal;

  • quedas de energia constantes e aparentemente sem motivos, principalmente quando acontecem somente na sua casa ou em alguns cômodos;

  • desarmamento do disjuntor e queima do fusível devido a sobrecarga elétrica.

Como evitar um curto-circuito?

Seguir recomendações é essencial para evitar acidentes, como o curto-circuito. Pequenos cuidados e mudanças de hábitos podem ajudar a manter a segurança do seu imóvel. Além disso, é fundamental realizar manutenção constante na sua rede elétrica.


A seguir, listamos algumas dicas de como evitar um curto-circuito.

1. Não sobrecarregue as tomadas

É muito importante distribuir bem a carga nas tomadas dentro de um imóvel. Isso já está previamente determinado no projeto, mas é importante ter cuidado, também, na distribuição dessas cargas. Portanto, nunca “pendure” muitos aparelhos elétricos em apenas uma tomada.

2. Verifique os aparelhos eletrônicos antes de usá-los

É primordial fazer uma verificação do estado em que se encontram os equipamentos, pois fios desencapados podem causar acidentes. Além disso, é importante checar a correta voltagem entre tomada e aparelho.


3. Reduza o uso de equipamentos eletrônicos durante as tempestades


Descargas atmosféricas podem ser fontes de problemas para a rede elétrica de uma edificação. Mesmo com o aterramento feito de maneira correta, podem ocorrer acidentes.


Caso o ponto de queda de um raio seja muito próximo, curtos-circuitos são disparados. Portanto, reduza o uso desses equipamentos nos momentos de chuva forte.

4. Faça a revisão das instalações elétricas a cada 5 anos

Instalações também depreciam, afinal de contas, os cabos elétricos não duram para sempre. Tenha isso em mente e contrate um técnico para verificar as condições da fiação, pelo menos, a cada cinco anos. Essa é uma ótima medida preventiva.

5. Realize manutenção no disjuntor

Os disjuntores funcionam como chaves e desarmam quando a corrente elétrica ultrapassa a potência máxima suportada. Desta forma, eles garantem a segurança do imóvel e das pessoas que ali estão. Por isso, é essencial que esses equipamentos estejam sempre em boas condições de uso e com a manutenção em dia.


Existem dois tipos de manutenção de disjuntores: a preventiva e corretiva. A primeira, como o próprio nome diz, atua para evitar possíveis falhas ou danos nos equipamentos. Já a segunda é realizada em casos emergenciais, onde a falha já gerou a interrupção o dispositivo.


A manutenção preventiva em disjuntor é necessária e deve ser feita periodicamente para detectar possíveis problemas, evitando que a situação piore e aumentando a vida útil do dispositivo. Porém, lembre-se de que ambos os tipos de manutenção devem ser realizados por profissionais capacitados.

6. Atente-se às extensões

As extensões são muitos usadas nas residências e nos comércios, mas esse é um produto que merece bastante atenção e cuidado.


Geralmente, as extensões são enroláveis em carreteis e devem apresentar carga máxima (em Watts). Além disso, esses produtos devem ter informações sobre a tensão, expressa em volts, mostrando que podem ser usados com cabo desenrolado e totalmente enrolado.


Esses dados são fundamentais para evitar o aquecimento dos fios, levando ao curto-circuito.

7. Evite fios oxidados ou desencapados

Para evitar curto-circuito, é importante cuidar também da instalação elétrica. Fios oxidados, velhos, em má conservação ou desencapados devem ser substituídos.

Nessa condição, a fiação elétrica representa uma ameaça para os moradores e para o imóvel, pois os fios desencapados podem gerar faíscas e curto-circuito, ocasionando grandes incêndios.

O que fazer em caso de curto-circuito?

É importante ficar atento aos sinais que possam indicar a possibilidade de um curto-circuito. Faça essa análise logo no primeiro momento que perceber algo "anormal" na sua instalação elétrica, para que algo mais grave não aconteça.

Em caso, de desarme de disjuntor, ligue novamente o dispositivo e desconecte da tomada os aparelhos que você desconfia que estão gerando o problema.

Caso o circuito volte a funcionar, pode ser defeito em algum aparelho ou sobrecarga na rede elétrica. Se tiver muitos equipamentos ligados na mesma tomada, por exemplo, tente diminuir essa carga.


Caso não encontre evidências e os problemas persistirem, a recomendação é desligar a chave geral e chamar um eletricista profissional.


Seguir as dicas de como evitar um curto-circuito é essencial para diminuir acidentes. Esse cuidado é necessário porque a gravidade pode ser elevada, considerando o risco de incêndio. Portanto, tome sempre as precauções devidas e, caso precise adquirir resistências elétricas (que transformam energia em calor), conte com um parceiro de qualidade, como a IMC Resistências Elétricas!


Gostou do artigo? então, aproveite para seguir os nossos perfis nas redes sociais. Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn!

1.306 visualizações2 comentários

2 Kommentare


Carlos Abreu
Carlos Abreu
há 13 horas
Gefällt mir

Carlos Abreu
Carlos Abreu
há 13 horas
Gefällt mir
bottom of page