top of page
Banner Blog da IMC

Blog da IMC

  • Foto do escritorIMC Resistências Elétricas

5 tipos de estoque e como eles podem ajudar na eficiência e produtividade


5 tipos de estoque e como eles podem ajudar na eficiência e produtividade

Você sabe quais os principais tipos de estoque? A gestão empresarial é um aspecto imprescindível para o sucesso de uma empresa. Independentemente do porte e segmento, trata-se de algo que faz toda a diferença para os resultados.

Nesse contexto, o estoque é um dos principais ativos de um negócio e, para conduzir uma boa gestão, é indispensável ter atenção redobrada com o setor; sobretudo para controlá-lo da forma correta, elevar o desempenho e a produtividade.


Se deseja melhorar a performance interna na empresa para alavancar os resultados, compreender esse assunto é fundamental. Pensando nisso, confira neste post quais os 5 tipos de estoque e a importância de manter boas práticas gerenciais! Boa leitura!

A gestão de estoque é primordial para a empresa

O gerenciamento e controle de estoque é uma atividade extremamente importante para o crescimento de toda empresa. Trata-se de um conjunto de ações e métodos que contribuem para o equilíbrio financeiro e otimizam o planejamento estratégico.


Em outas palavras, a gestão do estoque é o elo entre os setores de compras e o de vendas, sendo peça-chave para a harmonia entre eles. Por isso, é muito mais do que apenas armazenar produtos por um determinado período, mas tem impacto direto na organização financeira e resultados.


Sendo assim, uma gestão eficiente do estoque analisa dados das vendas, compras, época do ano, tempo de armazenamento, giro e outros aspectos — para orientar novos pedidos e garantir a disponibilidade adequada de cada item, considerando a demanda comercial.


Diante disso, é uma gestão essencial e, quando bem executada, tempo potencial para oferecer benefícios importantes, por exemplo:

  • agiliza o processo de entregas;

  • aumenta a produtividade;

  • facilita a previsão de demandas;

  • facilita o planejamento de compras;

  • impulsiona as oportunidades;

  • evita ruptura de estoque;

  • melhora a relação com o cliente;

  • reduz custos operacionais;

  • elimina desperdícios e perdas.

Portanto, investir em estratégias para melhorar o controle do estoque é um passo importante para o sucesso de uma empresa. Um fator que vai fazer toda a diferença para a performance, sobretudo, em relação aos diferenciais competitivos.

5 principais tipos de estoque

A gestão de estoque é um fator relevante para uma organização, como você pôde notar até o momento. Em vista disso, é necessário entender tudo sobre o assunto para dar início a melhorias gerenciais e estruturais para potencializar o fluxo de trabalho no setor.


Sendo assim, para desenvolver ações personalizadas e de acordo com as demandas do negócio, o passo inicial é saber quais os tipos de estoque. Afinal, eles têm total influência na dinâmica operacional e nos resultados, por isso, merecem atenção especial.


Veja nos próximos tópicos, quais são os principais tipos de estoque!

1. Estoque de antecipação

Também conhecido como estoque sazonal, é aquele dimensionado especificamente para datas comemorativas e de grande movimentação no mercado — como o dia das mães, dia dos pais, natal, páscoa, carnaval e outras datas que promovam uma demanda elevada.


Sendo assim, é um tipo de estoque dimensionado com antecedência para garantir a disponibilidade dos produtos de acordo com a procura. A vantagem é que ele atende demandas intensas e organiza o fluxo para ampliar as vendas e os lucros.

2. Estoque consignado

O estoque consignado é uma estratégia adotada por muitas empresas que não contam com um bom espaço físico para o armazenamento. Trata-se de um modelo em que o estoque é mantido por terceiros, geralmente contratados para realizar toda a gestão.


Dessa forma, as responsabilidades dependem do tipo de contrato firmado entre as partes e podem se limitar apenas ao espaço, ou incluir profissionais e entregas. Por isso, é importante avaliar os custos e questões logísticas para compreender se é uma alternativa vantajosa para a empresa.

3. Estoque inativo

O estoque inativo é aquele em que os produtos permanecem armazenados por longas datas, devido à falta de procura e venda. Em outras palavras, são os itens que foram adquiridos e armazenados, mas não tiveram muita saída e acabaram ficando estocados.


Nesse sentido, é uma situação de alerta para os gestores, pois se passarem da validade esses produtos podem representar prejuízos. Para evitar isso, é comum a realização de promoções e outras estratégias comerciais que estimulam a venda desses itens.

4. Estoque máximo

Como o próprio nome sugere, o estoque máximo é o que trabalha com a quantidade limite dos produtos por um determinado período. Normalmente, é resultado de negociações vantajosas com fornecedores ou itens de grande procura no mercado.


É importante observar que o estoque máximo exige estratégias precisas para ser construído sem que isso leve à inatividade. Os gestores precisam avaliar dados e saber exatamente como definir a quantidade máxima para cada produto para manter o equilíbrio.

5. Estoque mínimo

Por outro lado, o estoque mínimo é o que mantém armazenadas as quantidades mais baixas possíveis de cada produto comercializado. Esse número é definido de acordo com a demanda das vendas pelos itens, para garantir que não haja indisponibilidade.


Essa prática também exige uma gestão pontual e a avaliação do tempo de ressuprimento, ou seja, do processo de compra e entrega de novos pedidos. Uma opção interessante para quem tem fornecedores próximos e uma demanda pouco intensa nas vendas.

A importância das boas práticas no estoque

Cada tipo de estoque é indicado para situações específicas, considerando questões comerciais e disponibilidade de espaço físico. Sendo assim, não há o melhor modelo, mas o que melhor se encaixa nas particularidades e objetivos de cada empresa.


Entretanto, manter uma gestão eficiente do estoque e boas práticas gerenciais é algo indispensável em todas as circunstâncias. Afinal, é o que vai garantir bons resultados e um controle estratégico do estoque, preservando a disponibilidade de produtos e eliminando qualquer possibilidade de perdas.


Como podemos notar, os tipos de estoque influenciam diretamente na gestão e nas operações internas de uma empresa, inclusive nas vendas. Portanto, adotar um modelo estratégico e personalizado é essencial para melhorar os fluxos de trabalho e os resultados.


Agora que você já sabe quais os tipos de estoque, o que acha de ler mais novidades e conteúdos incríveis? Siga nossas redes sociais e fique por dentro de tudo! Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn!

9 visualizações2 comentários

2 comentarios


Carlos Abreu
Carlos Abreu
13 abr
Me gusta

Carlos Abreu
Carlos Abreu
13 abr
Me gusta
bottom of page